sexta-feira, 9 de julho de 2010

homossexual por natureza

Homossexual Por Natureza

Fiz uma breve pesquisa para saber se ser homossexual realmente não faz parte das leis da natureza, usei os animais como base e descobri histórias homossexuais entre eles muito bonitas (diria ate românticas e engraçadas porque não?) entre golfinhos, pingüins e patos. Mas vamos direto ao assunto, achei tão interessante que conclui que se existe no reino animal é porque não tem nada de errado, então caso você ainda tinha duvidas... Relaxe e saiba que tudo que esta acontecendo com você é normal, o que não é normal são pessoas mal informadas darem suas opiniões com o propósito de prejudicar ou acabar com uma coisa que simplesmente sempre existiu e faz parte das leis da natureza "rss".



Vou publicar no blog todas essas historinhas bonitinhas de animais homossexuais, mas antes para vocês entenderem melhor sobre o assunto estou trazendo uma matéria antiga da revista Época (é uma matéria bem pouco abranjente mas vale de alguma coisa).

A bióloga Marlene Zuk, que pesquisou a homossexualidade entre os animais, diz que classificar o comportamento de 'anormal' é uma precipitação. Presente em diversas espécies na natureza, ele pode ter vantagens evolutivas

Esse tipo de argumento – de que o sexo com indivíduos do mesmo gênero não é natural –, muito usado no século 19, é recorrente até os dias de hoje e permeia o debate do tema em vários países. As observações científicas, no entanto, demonstram que o argumento não tem base, já que são vários os exemplos de animais que mantêm relações sexuais e até mesmo de parceria com indivíduos do mesmo gênero.
Os biólogos Nathan Bailey e Marlene Zuk, reforça que o sexo homossexual é muito comum no mundo animal e é motivado por diferentes razões, como a falta de um parceiro do outro sexo, a necessidade de formar alianças, praticar e reforçar a hierarquia, por engano e até para criar um filhote.

Nesta entrevista a ÉPOCA, a professora Marlene Zuk fala sobre a pesquisa e diz que, na discussão sobre a homossexualidade, a sociedade foi apressada demais ao classificar o sexo entre pessoas do mesmo gênero de "anormal".



ÉPOCA – Qual foi a conclusão do estudo sobre sexo entre animais do mesmo gênero?
  • Marlene Zuk – Percebemos que o sexo homossexual entre animais é extremamente comum e extremamente variável; muitos animais têm interações desse tipo, e elas vão desde um casal duradouro de albatrozes fêmeas até o rápido cortejo entre dois machos de mosquitos de frutas.

ÉPOCA – O sexo homossexual entre animais tem algum papel na evolução?
  • Marlene – Sim, pois esse comportamento pode permitir aos animais passar seus genes para frente mesmo que não estejam participando de um acasalamento heterossexual.

ÉPOCA – Você pode dar alguns exemplos?
  • Marlene – Há alguns besouros que forçam relações com outros machos. Há evidências de que o esperma depositado pode acabar sendo transferido para as fêmeas quando esse macho for acasalar passando para frente assim os genes do primeiro macho. Outro caso é o de algumas populações de albatrozes que observamos no Havaí nas quais há mais fêmeas do que machos. Nessas circunstâncias, duas delas podem se juntar e cooperar na criação de um filhote e, algumas vezes, têm mais sucesso do que os casais heterossexuais. Isso pode influenciar o funcionamento da população e alterar suas características, passando o gene da albatroz fêmea homossexual para frente.
  • Em algumas populações de albatroz-de-laysan observadas no Havaí, são comuns duas fêmeas se juntarem para criar um filhote

ÉPOCA – E há alguma vantagem evolucionária de se relacionar apenas com animais do mesmo sexo?
  • Marlene – Há custos e benefícios para todos os comportamentos, incluindo aqueles entre seres do mesmo sexo. As pessoas talvez tenham sido muito precipitadas ao classificar o comportamento homossexual como aberração ou anormal. Ele ocorre sob algumas circunstâncias, mas não em outras, mas esse é o padrão de muitos outros comportamentos.

ÉPOCA – Isso vale tanto para o comportamento dos humanos quanto dos animais?
  • Marlene – Sim, há uma longa história de chamar a homossexualidade humana de anormal e até de caracterizá-la como um distúrbio psiquiátrico. Mesmo no caso dos animais, as pessoas tentam achar uma "desculpa" para o comportamento, dizendo que é resultado do cativeiro, ou que representa algum tipo de patologia. Mas cada vez mais estamos descobrindo que as experiências homossexuais são parte da vida animal.

ÉPOCA – O que motiva o sexo homossexual entre os animais?
  • Marlene – Isso ocorre por razões muito diferentes em animais diferentes. Em moscas de fruta, por exemplo, os machos cortejam outros machos porque um gene que os faz distinguir machos de fêmeas está alterado. Mas nos bonobos o sexo é usado socialmente, como uma forma de resolver tensões entre alguns indivíduos.
((•)) Ouça este post

1 comentários:

Diego disse...

Por favor, de que edição da Época é essa matéria? Gostaria de saber essa fonte.

Obrigado

Postar um comentário